Espaço Público / Peniche

Álvaro Manso

 PENICHE 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 CAMPO DA REPÚBLICA  2007

Com a horizontalidade da intervenção não se pretende, nem competir, nem dificultar a leitura da fortaleza.

Conferir-lhe identidade, enobrecer a arquitectura militar e ligá-la à malha urbana, foi o principal desafio, uma vez que os dois espaços estavam divorciados entre si.

Pôr à vista linhas de força agregadoras de união e ancoragem do sítio à cidade e à paisagem que funcionam como identidade de um local que estava  perdido e abandonado.

A ligação dos pescadores ao sítio e a sua cumplicidade com o mar foi determinante na concepção e no sentido de pertença destes espaços pela população.

Modelou-se o espaço, a forma e o material, criando um lugar que absorve a história e a cultura, presentes hoje e no passado.

A importância de “esvaziar” a “tela”, de criar “silêncio” no espaço faz surgir algo dialéctico: um vazio cheio de história.

Explorar o lado táctil e as textura das superfícies, foi determinante para a escolha dos pavimentos e para a  autenticidade dos materiais naturais da paisagem que se criou.

A ligação destes espaços à narrativa geológica da orla costeira é determinante e foi explicitada pelo desaterro executado, mostrando a geologia do local e a construção da fortaleza na rocha.

Álvaro Manso, Arquitecto Paisagista

Patrocínio: